Você sabe a hora de parar o trabalho? Consegue descansar sem culpa?

Deve-se dar à alma algum descanso. (…) Assim como não se deve exigir demais dos campos férteis, porque uma fertilidade nunca interrompida os esgotaria, também o trabalho contínuo abate o ímpeto das almas, cujas forças se recuperariam com um pouco de descanso e distração.

Sêneca, Da tranquilidade da alma, 19

Eu não sabia a hora de parar. Confesso que ainda estou aprendendo a fazer isso. É fácil contar as horas para o fim do expediente num trabalho que você detesta. Mas e quando você gosta?

E quando não tem ninguém controlando os seus horários, além de você mesmo? O desafio é parar. Parar antes de queimar o pavio todo, antes de exaurir a terra fértil, antes do prazer virar doença. Por isso, hoje eu te convido (ou desafio?) a parar. E descansar de verdade. Faz sentido pra você?

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Olá, eu sou a Fernanda!

Sou professora e doutora em filosofia, apaixonada por literatura. Mãe de gente, de pet e de planta. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subscribe to My Newsletter

Subscribe to my weekly newsletter. I don’t send any spam email ever!

Subscribe to My Newsletter

Subscribe to my weekly newsletter. I don’t send any spam email ever!